23.4.07

Voltando do exílio: Quem sou eu? Aonde estou?

Voltei. Foi quase um mês de férias. Pouco tempo no calendário, mas dias suficientes para que me sentisse exilado do Brasil.
Estive em Nova York e em duas cidades do Canadá: Montréal e Quebéc. Para um paulistano que, até então, seu recorde de frio era de 3 graus no final de verão em Bariloche, foi uma experiência congelante...
Em Nova York pegamos uma temperatura que variava entre 2 e 12 graus. A sensação térmica era menor, óbvio, quando não se tem roupas adequadas para encarar o frio... E obviamente que essa anta que vos escreve relutou até o fim em comprar algo que não usaria aqui em São Paulo.
Se em NY já estava suficientemente frio, no Canadá estava suficientemente congelante. Neve. Aliás, você sabia que Montréal significa Mont Real - Monte Real?
Lá e em Quebéc era normal estarmos em temperaturas abaixo de zero. -4, -5... Em plena primavera.
Apesar dos EUA nunca ter me despertado uma paixão ou "vontade de ir pra lá", foi algo engrandecedor.
Em NY é complicadíssimo usar telefone público. Para alguns prefixos se usa código de área e para o mesmo prefixo, porém outro telefone, não precisa. Perdia quarters (moeda de 25 cents) a rodo nos orelhões porque eles estavam cansados de comer hambúrgueres e comiam nossas moedas. E nunca iam sozinhas. Iam 3 ou 4 de uma vez... Americano come aos montes.
Aliás, tirando os telefones públicos, todos lá se alimentam muito mal. É uma desigualdade gastronômica. Ou você tem muito dinheiro para comer todo dia num restaurante que oferece comida decente e de verdade (e não é barato nem para os padrões europeus) ou você precisa comer junk food todo santo dia. Ou pior, ter que andar kilômetros para tentar lembrar aonde que você viu aquele mini fast food italiano que oferece buffet de massa no horário de almoço perto de Wall Street! Frutas? Só nas caixinhas de sucos artificiais como o Juicy Juice Tropical da Kraft, que era uma mistura de maçã, blueberry, maracujá (!!) e framboesa. Manja Taff Man-E? Um pouco pior ainda...
Mas o lugar que me divertia mais em NY era nas baladas... Sentirei saudades disso. Em que outro lugar do mundo você dança com um francês, dois estonianos, israelenses, espanhol e o coreógrafo da Gwen Stefani na mesma roda?
E uma coisa maravihosa... Você passa a noite inteira dançando e volta pra casa sem cheiro de cigarro. Sim, lá e no Canadá é proibido fumar no lado de dentro. Se quer fumar, vá para a calçada... E se estiver nevando? Sem problemas... No Canadá eles te oferecem capas de feltro amarelo para você fumar debaixo da neve. Uma belezura.
Uma das coisas gostosas da vida é sair de uma boa balada - ou pós-balada - no frio, sem cheiro de cigarro, passar num Starbucks 24h, e voltar pra casa andando, de madrugada, tomando algo quente sem o menor perigo de ser assaltado.
Por sinal, não há dinheiro que compre a sensação de ficar um mês sem sentir medo ao andar na rua. Um mês... sem sentir medo... e também alienado. Ficar um mês sem ler jornal e ficar sem informação te causa algo dentro de ti que você se perde quando volta à realidade. Por exemplo, só fiquei sabendo do cara que se suicidou do Empire State nesses últimos dias de viagem.
E quando você volta ao Brasil então? Você se sente um exilado - ou para outros mais modestos, você se sente D'us que saiu de férias e deixou o mundo na mão de estagiários.
É um choque saber que o Henri Sobel furtou gravatas e foi detido. Sandy e Júnior se separaram. Leão não é mais técnico. Eliana e Edu Guedes também se separaram. Fábio Jr tá catando a Mari Alexandre, Angélica tá grávida, que a Folha tá imitando a Caras e dando obras de arte, a bolsa subiu quase 15% em um mês e o dólar caiu mais 7 centavos, trocaram todos os postes da minha rua, Maradona internado, FHC assaltado na Espanha, greve de controladores de vôo e a criação do Ministério do Futuro pelo Lula, casamento da Ana Maria Braga e a perda da Nair Bello...
Sem contar que quando você sai na rua, estranha seu próprio bairro. Enfim...
Estou de volta à terrinha, à comida gostosa e ao noticiário indigesto.
Como cantava Carmen Miranda: Na Hora das Comidas, Eu Sou do Camarão Ensopadinho com Chuchu!!